Peso e liberdade

A palavra de ordem é desconfinar! Tão inexistente no nosso vocabulário quanto a naturalidade com que se faz. O mundo, que era do tamanho das nossas casas, esticou de tal maneira que todos cabemos nele, mas a metros de distância uns dos outros! Sair de casa e olhar com desconfiança quem não tem máscara e quem não se desvia da sua rota para evitar a proximidade ou ainda quem está integrado num grupo! Olhar com medo a normalidade e perfilhar uma rotina onde não cabem os beijos nas bochechas da minha mãe. Tomar decisões que antes se tomavam sozinhas.

Agora. Sair ou não sair, voltar à escola ou não voltar, estar com a família ou não estar. E essas decisões cabem numa máquina de lavar de emoções porque estão cheias de peso e de liberdade. A COVID-19 devolveu-nos a consciência de que temos liberdade para tomar decisões até aqui automatizadas pela bitola frenética do tem-que-ser-assim. Não, não tem.

Mas ao mesmo tempo carregou-nos os ombros com o peso imensurável das consequências. De resto, não é sempre esse o resultado de um embate hipotético com a morte? Liberdade e peso. As estatísticas estão contra muitas das minhas pessoas. O meu mundo pode levar uma volta muito maior do que um confinamento em casa durante dois meses. E penso, egoisticamente, que a minha angústia não tem reflexo neste aligeirar das medidas de prevenção. E que o mundo gira, indiferente a tudo e que é aí que se esconde e se mostra a sua beleza e a nossa finitude. E o desespero no confronto com ela. Desconfinar é a palavra de ordem mas os pensamentos que disparo como setas contínuas a cada tentativa de regresso à normalidade continuam confinados ao medo e isto não se desconfina com decretos e leis e diretivas e boletins. Para mim, a normalidade foi e será sempre o beijo na bochecha da minha mãe. E enquanto esse me estiver vedado, vou sempre sentir-me confinada!

Joana Lopes Clemente, Coordenadora Geral e Executiva da Helpo

Like this article?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest

Leave a comment